Saúde Esportiva - Saúde, Nutrição, Estética, Beleza



Recomende:


Diabetes tipo 1 e 2

O QUE É O DIABETES?

É um distúrbio metabólico causado pela falta relativa ou absoluta de insulina no organismo. Insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas e tem a função de facilitar a absorção da glicose pelo organismo. Quando a insulina é produzida em quantidade insuficiente ou atua de forma inadequada, a glicose deixa de ser absorvida pelas células e acumula-se no sangue.

A glicose que provém principalmente da alimentação, é o combustível do organismo, que circula na corrente sanguínea, mas que precisa da insulina para penetrar nas células do corpo. A insulina funciona neste processo como um bico injetor. Com a insuficiência da insulina ou inadequação da ação, os níveis de glicose aumentam e se concentram no sangue a taxas elevadas, caracterizando o diabetes. Em outras palavras, diabetes é o excesso de açúcar no sangue.

A taxa normal de glicose no organismo varia entre 70 a 110 mg por 100 ml de sangue.

EXISTEM 2 TIPOS DE DIABETES

O TIPO 1 (insulino - dependente),
é uma doença auto-imune: as células do sistema imunológico agridem as células produtoras de insulina destruindo-as, resultando na diminuição ou cessação da produção de insulina. As pessoas com este tipo de diabetes precisam aplicar injeções diárias de insulina, para controlar a doença, que em geral se inicia na infância ou na adolescência.

O TIPO 2 (não insulino-dependente), que atinge entre 80% e 90% dos diabéticos, ocorre na grande maioria dos casos entre os adultos. Neste tipo de diabetes a produção de insulina pelo pâncreas é normal, mas os tecidos do corpo se tornam resistentes à ação da insulina, impedindo a absorção da glicose pelo organismo, elevando, assim, a taxa de açúcar na corrente sanguínea.

Quando a quantidade de insulina se reduz muito, o paciente precisa tomar injeções de insulina (tanto do Tipo 1 como do Tipo 2 ), em geral duas ou mais vezes por dia, de modo a equilibrar a taxa de glicose no sangue. As causas do diabetes infelizmente ainda não são conhecidas. Estudos recentes revelam que há uma maior incidência de fatores hereditários no diabetes tipo 2.

Verifica-se também maior incidência da disfunção em pessoas obesas e em pessoas de vida sedentária. Embora a obesidade não conduza obrigatoriamente à doença, verifica-se que mais de 80% dos casos de diabetes tipo 2 apresentam sobrepeso ou obesidade. Está provado que o excesso de peso, principalmente em pessoas que possuem históricos familiares de diabetes tipo 2, aumenta significativamente o risco de surgimento desta disfunção.

O diabetes tipo 1 pode conduzir ao estado de coma, devido a níveis de glicose muito altos (hiperglicemia) ou muito baixos (hipoglicemia). Esse tipo de diabetes pode também provocar deficiência de crescimento e desenvolvimento do jovem, além das complicações de longo prazo que aparecem entre os não insulino-dependentes. Isto pode ocorrer também no Tipo 2.

SINTOMAS DA DOENÇA

Uma das características do diabetes é o fato de ser uma doença “silenciosa”. Uma proporção significativa dos doentes, que segundo alguns estudiosos pode chegar a 50% dos casos, não sabem que são diabéticos!

Por outro lado, basta um simples exame de sangue para detectar a doença. Ocorre que ainda nos países emergentes como o Brasil e mesmo nos países mais desenvolvidos como os Estados Unidos, a população não tem o hábito de fazer exames de saúde preventivos. No caso, recomenda-se que todas as pessoas façam exame de sangue anualmente.

Um dos principais sintomas do diabetes é a sede, que provoca o maior consumo de água, que provoca a produção de urina acima dos níveis de normalidade. O paciente se sente mais fraco, sente mais fome e pode apresentar uma inexplicável perda de peso, mesmo quando continua a se alimentar normalmente. Os pacientes referem indisposição e cansaço excessivo. Quando vários destes sintomas se apresentam simultaneamente, impõe-se a necessidade de exames visando identificar a elevação da dosagem de glicose no sangue.

CONSEQÜÊNCIAS

Se os níveis de glicose no sangue não forem devidamente controlados com medicamentos, com comprimidos, insulina, dieta alimentar e exercícios físicos, pode-se desenvolver catarata, cegueira, enfarto do miocárdio, gangrena provocada pela diminuição da circulação arterial no pé e na perna, amputação de membros, impotência sexual masculina, doenças pulmonares e circulatórias, insuficiência renal e hipertensão arterial.

TRATAMENTO

O tratamento deve ser prescrito pelo médico e sempre que possível apoiado por uma equipe multiprofissional, formada por médico, enfermeira, nutricionista, psicólogo, educador físico, podólogo, todos com treinamento apropriado e atualizado no tratamento do diabetes. São poucos os doentes obviamente, que têm acesso a um tratamento multidisciplinar como este.

O portador de diabetes deve, pelo menos, ser cuidado por um médico especializado na doença, o que na maioria das vezes não acontece. Existem estudos que mostram que 70% dos diabéticos são tratados por clínicos, cardiologistas, ginecologistas, etc., profissionais que, em boa parte, não estão habilitados para tratar desta doença.

Os cuidados com o diabetes estão centrados basicamente em três procedimentos: dieta, exercícios e medicação. Porém, tão importante quanto estes procedimentos é a participação ativa do doente no tratamento. Para isso, é necessário que o diabético conheça a doença, que seja orientado por um profissional especializado e que tenha consciência da própria condição.

Como seus níveis de glicose mudam dia a dia, o diabético tem de empenhar-se para controlar a doença. Hoje a própria pessoa com diabetes tem condições de fazer em casa a medição de sua glicemia e pedir orientação ao médico para tomar as providências cabíveis ao seu estado naquele momento.

Pode-se dizer que o Brasil dispõe de um arsenal terapêutico tão bom quanto o existente no exterior, assim como dos meios de educação e controle do diabetes. Também é grande o know-how ao alcance dos profissionais brasileiros, adquirido em simpósios e congressos internacionais. Alguns destes profissionais estão hoje no comando da SBD.

Obs. O diabetes não tem cura. Através do controle dos níveis de glicose no sangue, os diabéticos podem evitar que a doença traga conseqüências mais graves. Se houver variações intensas da glicemia, num período curto de tempo, como algumas horas ou dias, surgem as complicações agudas, mais freqüentes nos diabéticos insulino-dependentes.

ESTRATÉGIAS PESSOAIS

A Sociedade Brasileira de Diabetes destaca as principais estratégias para o controle glicêmico. Elas envolvem a educação em diabetes, motivação pessoal, disciplina, força de vontade, controle domiciliar da glicemia, apoio social e familiar e equilíbrio emocional. Tudo isso, combinado com medicação adequada, dieta e exercícios.

O tipo de medicação, bem como a sua dose, é definido em função da dieta e do nível de atividade físicas. É muito importante, porém, que o diabético entenda os mecanismos da doença, assim como as condições que causam o aumento ou a diminuição brusca da glicemia. O paciente deve seguir as orientações dietéticas sobre o que comer e a quantidade a ser ingerida e, se possível, ter conhecimentos ainda mais específicos, como os perfis de ação terapêutica das várias insulinas. Deve-se ter em mente, ainda, que o estresse emocional pode ter impacto negativo sobre o controle da glicemia.

O controle domiciliar do diabetes é um dos resultados do avanço da tecnologia para o tratamento da doença. Há aparelhos eletrônicos portáteis, que permitem a medição dos níveis de glicose no sangue. O teste pode ser feito pelo próprio indivíduo, com apenas uma gota de sangue. O resultado é mostrado em alguns segundos.

A forma mais eficaz de combater essa epidemia, reduzindo o número de diabéticos, coincide com o combate à obesidade e à vida sedentária. Entretanto, se houver um trabalho de detecção em massa da doença, milhares de pessoas serão tratadas em tempo hábil, evitando o agr

SOCIEDADE BRASILEIRA DE DIABETES – SBD
Rua Afonso Brás, 579, salas 72 / 74, Vila Nova Conceição.
São Paulo – SP.
Telefax (11) 3846-0729.
E-mail: secretaria@diabetes.org.br.
Site: www.diabetes.org.br

Créditos: Maria Luiza Paiva - luiza@litera.com.br
Vanessa Alvaiz - vanessa@litera.com.br
Litera – Relacionamento com Imprensa

DICA

Veja também: Os 100 segredos das Pessoas Saudáveis. Analisando um amplo número de pesquisas científicas, David Niven fornece neste novo livro conselhos úteis e práticos que mostram o que de fato faz bem ou mal à saúde, derrubando mitos e oferecendo exemplos concretos do dia-a-dia. A idéia equivocada de que ficar doente é uma fatalidade faz com que muita gente não cuide de sua saúde como deveria. Ao tomar consciência de que nós é que escolhemos ser saudáveis ou não, podemos melhorar significativamente nossa qualidade de vida.


Leitura adicional:
Viver bem com diabetes
Diabetes tipo 1, 2 e gestacional
Dieta para diabetes - Alimentos e diabéticos



Seções
Alimentos
Cabelos
Cardiologia
Dentes brancos e saudáveis
Dietas
Estética
Exercícios físicos
Mulher
Nutrição
Nutrição Esportiva
Notícias sobre saúde
Obesidade e Emagrecimento
Patologias
Patologias e alimentação
Pele saudável
Receitas de culinária light
Saúde Geral
Sexo e saúde

Patologias
Item Doença de Paget do osso
Item Doença de Paget dos ossos - Sintomas, complicações e tratamento
Item Doença de Parkinson e Parkinsonismo Juvenil
Item Causas da doença de Parkinson
Item Doença de Parkinson - Sintomas e diagnóstico
Item O que é osteoporose
Item Fatores de risco para osteoporose
Item Sintomas e tratamento da osteoporose
Item Câncer de próstata - O que é, fatores de risco, sintomas, exame PSA
Item Tratamentos para Câncer de Próstata
Item Fumo passivo e efeitos à saúde em adultos e crianças
Item Transtornos do sono - Insônia, narcolepsia , apnéia do sono e síndrome das pernas inquietas
Item Depressão - Tipos e Causas
Item Sintomas de Depressão
Item Doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) - O que é, causas, sintomas, tratamento
Item Câncer colorretal - O que é, fatores de risco
Item Artrite reumatóide - O que é, causas, sintomas, tratamento, cirurgia
Item Artrose ou osteoartrite - O que é, causas, sintomas
Item Tratamento da artrose
Item Doença de Alzheimer - O que é, perda de memória e demência
Item Doença de Alzheimer - Causas e fatores de risco
Item Doença de Alzheimer - Sintomas e diagnóstico
Item Doença de Alzheimer - Tratamento
Item Hemorróidas - O que são, sintomas, causas, tratamento
Item Fibromialgia - O que é, sintomas, causas, tratamento
Item Linfoma não-Hodgkin - O que é, Causas
Item Conjuntivite viral, bacteriana e alérgica - Causas
Item Conjuntivite - O que é, sintomas, tratamento
Item Enxaqueca - Sintomas, tratamento, causa
Item Citomegalovírus - Diagnóstico, testes, na gravidez
Item Perda auditiva - Sintomas e diagnóstico
Item Sinusite - O que é, causa, tratamento, remédios
Item Caxumba - Sintomas, tratamento, transmissão
Item Insônia - Tratamento e diagnóstico
Item Insônia - O que é, causas, primária e secundária
Item Insuficiência respiratória aguda e crônica - Sintomas, tratamento
Item Doença de Crohn ou enterite regional - Diagnóstico, dieta e gravidez
Item Otite externa
Item Tratamento da leucemia
Item Diagnóstico da leucemia
Item Leucemia aguda e crônica
Item Apendicite
Item Esclerose múltipla - Tratamentos
Item Sinusite aguda e crônica - O que é, sintomas e tratamento
Item Apnéia obstrutiva do sono
Item Anemia vira leucemia?
Item Dislexia
Item Retinoblastoma
Item Artrose no ombro - Tratamento com Prótese Reversa
Item Virose
Item Câncer de ovário
Item Boca seca - Xerostomia
Item Doença do Refluxo Gastroesofágico - Azia e queimação
Item Asma
Item Anemia
Item Ovários Policísticos
Item Displasia Mamária
Item Pés de diabéticos e prevenção de lesões
Item Osteoporose
Item Insônia e Depressão
Item Evolução da leucemia
Item Hepatite A
Item Tireóide x Humor - hipertiroidismo e hipotiroidismo
Item Bumbum Sarado - Síndrome do Piriforme
Item Gastrite e Úlcera
Item Diabetes tipo 1 e 2
Item Insuficiência Renal Crônica
Item Cálculos de vesícula
Item Dermatite de Contato
Item Mal de Alzheimer
Item Problemas e doença no Quadril
Item Doença de Chagas e Transmissão Oral
Item Prevenção do Câncer com Estilo de Vida Saudável




Saúde Esportiva - © 2007-2012 Helio Fontes - Política de privacidade
Email para contato